2.6.07

DIGA-ME COM QUEM ANDAS...

De Iuri Dantas, da Folha Online:

PT ASSINA ACORDO COM BAATH, EX-PARTIDO DE SADDAM HUSSEIN

O presidente do PT, Ricardo Berzoini, assinou, anteontem em Damasco, acordo de cooperação com o Partido Baath Árabe Socialista. O Baath comanda um regime autoritário na Síria desde 1963 e também foi o partido do ex-ditador iraquiano Saddam Hussein, enforcado em 2006.

O acordo, que tem validade até 2010, estabelece sete compromissos, como "incentivar a troca de visitas", tentar "coordenar os pontos de vista" quando os partidos estiverem presentes em congressos e fóruns regionais e internacionais, "promover a troca de publicações e de documentos partidários importantes" e "fortalecer" a cooperação entre organizações populares e "representantes da sociedade civil", para "intercâmbio de experiências".

Segundo texto divulgado pelo PT, os objetivos são "estreitar laços de amizade" e "melhor servir aos interesses comuns dos dois países e povos".

Para o cientista político Octaciano Nogueira, o acordo representaria um retorno do PT às origens, quando tinha tendências "stalinistas".

"Isso torna as coisas mais difíceis para Lula e nem tanto para o PT. Aliar-se ao Baath, que é um partido totalitário, num país [Síria] onde não há democracia, isso é uma volta à origem radical, ao stalinismo."

Para o professor David Fleischer, da Universidade de Brasília, o PT acompanha o mesmo movimento com o Baath em curso nos Estados Unidos e em Israel. Como o governo brasileiro também possui interesses na Síria, ele vê o acordo como "uma jogada esperta".

"O PT sempre teve um setor de relações internacionais bastante ativo. Essa iniciativa com o Baath, um partido muito reacionário, é inusitada, diferente. Pode ser que tenha aproveitado aproximação feita pelo governo brasileiro com a Síria. Neste sentido é uma jogada esperta."

Fundado em 1947 com proposta nacionalista e socialista, o Baath prega a criação de um Estado único árabe na região e reivindica terras ocupadas por Israel na Guerra dos Seis Dias.

O partido teve seu nome vinculado ao assassinato do ex-primeiro-ministro do Líbano, Rafik Hariri, em 2005. Ele foi morto na explosão de um carro-bomba, quatro meses depois de deixar o cargo. O presidente Lula visitou a Síria no primeiro ano de seu governo.

Da minha parte, surpresa nenhuma. Um partido que assinou um acordo com partidos esquerdistas radicais apenas daria mais um passo para acordos de cooperação com um partido pró-terrorista. E isso fica ainda mais evidente quando um dos apoiadores do governo Lula, o MR-8 (dono do jornal ultra-esquerdista Hora do Povo), apoiou o ditador iraquiano Saddam Hussein até o fim de sua vida.

O texto disse que o Baath foi fundado com proposta nacionalista e socialista. Já ouvi falar de dois partidos que são (ou eram) assim. Um é o PDT. O outro foi o Partido Nazista.

3 comentários:

PATRICIA M. disse...

Daniel, alguem poderia esperar algo diferente vindo do PT? Daqui a pouco estao mandando emissarios `a Russia, que como todo mundo sabe, ja virou uma ditadura sob Putin... Hmmmmm...

PATRICIA M. disse...

Consertei o video no meu blog com outro similar, se voce quiser assistir `aquela versao, hehe.

Blogildo disse...

Era só o que faltava! Trazer os radicais do oriente para cá... Putz!