31.12.07

PEDE PRA SAIR, 07

É isso, pessoal. Volto ao Rio amanhã, primeiro dia de 2008. Aproveito pra desejar a todos um feliz Ano Novo, e que seja muito proveitoso a todos. Volto aqui, se nada der errado, no dia 2 de janeiro, com as minhas impressões finais sobre a viagem à Capital Federal. Até lá!

30.12.07

A CIDADE A SEUS PÉS

Prosseguindo a viagem por Brasília, depois de nos vacinarmos contra a febre amarela (providência preventiva de última hora), visitamos ontem a Torre de TV, um dos grandes pontos turísticos da Capital Federal. Do alto (na verdade, do meio da torre, onde fica o mirante), dá pra ver todo o centro da cidade e grande parte dos demais pontos turísticos (o Congresso Nacional, a Esplanada dos Ministérios, a Catedral, o centro esportivo - Estádio Mané Garrincha, Ginásio Nilson Nelson, Autódromo Nelson Piquet, além do único cinema drive-in em funcionamento no país, que fica dentro do Autódromo -, além de dois grandes centros comerciais - Conjunto Nacional e Shopping Brasília). Tirei algumas fotos de lá. Em breve, postarei por aqui.

Eu sei que ando parecendo aqueles turistas deslumbrados que saem falando de tudo que viram em suas viagens. Mas dêem-me um desconto, raramente faço isso. :-)

29.12.07

MAKTUB



A palavra acima significa "estava escrito" em árabe. Não sei se ela é usada também no idioma urdu, mas expressa com perfeição o que ocorreu no Paquistão nesta quinta-feira, com o assassinato da ex-primeira-ministra do país e principal líder da oposição paquistanesa, Benazir Bhutto.

A primeira mulher a alcançar a chefia de Governo em um país de maioria muçulmana foi vítima de um atentado, o segundo em que ela era o alvo desde seu retorno do auto-exílio, que adotou ao ser acusada de corrupção durante o exercício do poder. De todo modo, apesar das desconfianças, ela era um ponto de equilíbrio e confiança na luta contra o terrorismo internacional - candidatava-se novamente ao posto, nas eleições que serão realizadas no Paquistão, no início do próximo ano.

Suspeita-se tanto do grupo terrorista Al-Qaeda, quanto do atual líder do país, Pervez Musharraf - aliado dos Estados Unidos na região, mas considerado vulnerável numa nação em que a animosidade parece brotar em todos os lados. Afinal, o Paquistão faz fronteira com Irã e Afeganistão, e desconfia-se que Osama bin Laden, líder da Al-Qaeda, esteja escondido nas grutas do país. Desde sua independência, há sessenta anos, o Paquistão é inimigo declarado da Índia, com quem faz uma corrida nuclear de conseqüências imprevisíveis, e disputa o território da Cachemira. Além disso, não faz muito tempo, Musharraf fez uma transição extremamente conturbada da vida militar à civil, bloqueando o Congresso e reprimindo violentamente as manifestações contrárias a seu governo, que recebe bilhões de dólares dos norte-americanos sem conseguir ser eficaz no combate ao terrorismo. O assassinato de Benazir Bhutto é mais um capítulo dessa história trágica - e que deverá fazer o barril de pólvora explodir de vez.

26.12.07

À NOITE, BRASÍLIA É UMA FESTA... PARA OS OLHOS

Ao contrário do que imaginava (leiam o texto abaixo), fomos passear de carro por Brasília na noite de ontem, mesmo. Era a grande chance de ver, ao vivo e em cores, o que só via pela televisão. E não desperdicei a chance.

A capital federal, quando vista à noite, é um prazer para a vista. A Ponte JK iluminada em tons de azul, o Palácio do Planalto ao lado do Congresso Nacional, a Esplanada dos Ministérios enfeitada para o Natal, a Catedral de Brasília, o Memorial JK. Isso me deu o desejo de conhecer mais a fundo esses pontos, nos próximos dias.

Disseram-me que, à luz do dia, os locais são ainda mais vistosos. De todo modo, o que ficará na minha memória é esta primeira impressão. Agora entendo os turistas embasbacados com a visão do Pão de Açúcar e do Maracanã (e, antes disso, ainda tem a Praia de Copacabana), quando viajam pela linha 455, que pego quando volto do médico em Botafogo.

25.12.07

NATAL CAPITAL

Como escrevi aqui, passo o Natal em Brasília, na casa da minha irmã. As primeiras impressões que tive da capital federal são que ainda há muito a fazer para povoar o local, 47 anos depois da fundação da cidade; e que o uso do carro é importantíssimo, pois grande parte do território brasiliense é formado por estradas e ainda há poucos ônibus circulando.

Amanhã, começo a conhecer o local mais profundamente, com a visitação a alguns pontos turísticos. Penso que, neste momento, a viagem pelo centro político do país começará pra valer. No mais, um bom final de Natal a todos.

22.12.07

DIRETO DA CAPITAL FEDERAL

Cheguei a Brasília na manhã de hoje e poderei contar nos próximos dias o que irei viver até o dia 1° de janeiro. Até lá!

21.12.07

TROCADILHO INFAME, MAS ISSO ACABOU EM PIZZA



A greve de fome do frei Dom Luiz Cappio, em protesto contra as obras de transposição do Rio São Francisco, mais uma vez não foi levada adiante, embora tenha ido mais longe do que no ano passado.

As obras causam polêmica, por serem acusadas de prejudicar determinadas regiões do Nordeste para beneficiar outras. Trata-se de uma das promessas de campanha do atual governo, mas que desagrada a vários por causa do alto custo, e a outros tantos que não querem correr o risco de perder grande parte de suas águas.

Não vivo na região e, portanto, não tenho opinião formada a respeito do assunto. Mas o que o frei fez foi simplesmente patético. Ainda que a obra prejudique grande parte da população nordestina, nada justifica a greve de fome. Dá a idéia de que ele quer aparecer para a platéia, como fez Anthony Garotinho no ano passado. Eu escrevi outro dia que se ele levasse a greve de fome até o fim, seria apenas um chato a menos no mundo. Os fatos que viriam mais tarde apenas deram razão. O pior é suportar tanta gente boa seguindo-o como se fosse o novo Messias.

19.12.07

O QUE O CHAVITO QUER É APARECER

Com essa história toda da libertação dos reféns das FARC nas selvas colombianas, o presidente venezuelano Hugo Chavez vai conseguindo o que quer: aparecer. Desta vez, ele posa de herói ao negociar a libertação daqueles que estão presos há mais de cinco anos. E muitos ignoram as relações que ele e seu grupo político têm com a guerrilha colombiana.

Ao negociar a libertação dos reféns, Chavez e as FARC combatem um inimigo em comum: o presidente colombiano, Alvaro Uribe. Afinal de contas, o venezuelano está de olho na propaganda positiva que uma "negociação bem-sucedida" é capaz de propiciar. Além disso, a Europa está de olho nas conseqüências desse ato. E a França é parte interessada nisso: uma dos reféns é a senadora e ex-candidata à presidência da Colômbia, Ingrid Betancourt, que também tem cidadania francesa.

Em caso de sucesso nessa empreitada, Chavez passará às mentes ineptas do mundo uma imagem do que ele não é: um estadista capaz de acabar com um longo seqüestro. Mal sabem os mais ingênuos que ele pode ser uma pessoa perigosa. E ninguém sabe do que ele é capaz de fazer.

16.12.07

A ELEIÇÃO DO MÊS (PELO MENOS PARA MIM)

Momento jabá por aqui: estamos na metade de uma das melhores eleições (modéstia à parte) da Internet. A eleição do Mala do Ano de "A Trombada!" está na sua metade. Clique aqui e dê seu voto. Digo só uma coisa: está pau a pau. Você tem até o dia 31 pra votar. O resultado sai no comecinho de janeiro.

15.12.07

TUDO POR 'EL SOCIAL'



O ex-jogador argentino Diego Maradona segue polêmico, dez anos depois de deixar os gramados. Ele, que tem tatuadas no corpo as imagens de dois ícones da esquerda latino-americana (Ernesto "Che" Guevara e Fidel Castro, este um amigo de velha data) e, sempre que pode, desanca e sataniza o poderio norte-americano, anunciou que pretende colocar mais uma tatuagem - que homenageará o presidente venezuelano Hugo Chavez.

Pelo visto, ele não deixou totalmente as drogas. Pode ter deixado a cocaína e o álcool, mas outras drogas insistem em destruí-lo. A crença nas esquerdas é uma delas. Se não parar com isso, sua pele acabará virando um Congresso do Partido Comunista. Depois de tatuar Chavez, seu próximo passo deverá homenagear outros "heróis" como Josef Stalin, Pol Pot e Mao Tsetung, de preferência em lugares do corpo onde o Sol não bate. Ou seja, Maradona, de maior jogador do mundo nos anos 80 e um dos maiores em todos os tempos, virou uma triste caricatura de si mesmo, alguém digno de pena e que não possa ser levado a sério.

11.12.07

CADA CHEFE DE ESTADO TEM O GANDHI QUE MERECE

De Lauro Jardim, ontem, na versão virtual da coluna Radar de Veja:

MAIS UMA BOMBA PODE EXPLODIR... NO COLO DO GOVERNO

Não é só a votação da CPMF amanhã e a escolha do novo presidente do Senado na quarta-feira que estão a atormentar o governo. A semana reserva para Lula outra bomba, cujo pavio queima desde o dia 27 e pode explodir a qualquer momento: entra hoje em seu 14º dia a greve de fome de D. Luiz Flávio Cappio contra as obras de transposição do Rio São Francisco. Mais do que nunca, aumenta a possibilidade de tragédia.

A temporada de "jejum e orações" do bispo é ensandecida - aliás, a comparação que alguns fazem entre a greve de fome de D. Cappio e os jejuns de Mahatma Gandhi nos anos 30 e 40 é uma mistura de empulhação com desconhecimento da História. O caso agora é de chantagem do religioso - imagine se todos fossem atentar contra a própria vida quando discordassem de uma decisão sobre uma obra. Ainda que se façam essas ressalvas a respeito do protesto de D. Cappio, a realidade é: se alguma tragédia ocorrer, ela cairá no colo do governo. Ainda mais num governo de tantas ligações com a ala dita progressista da Igreja Católica, a qual pertence D. Cappio.

Já eu digo o seguinte: se o pior acontecer, será apenas um chato a menos no mundo. E digo mais: será ainda melhor se vários outros o seguirem. A quantidade de chatos no país diminuiria consideravelmente.

10.12.07

EU SEI, PESSOAL, TÔ DEVENDO

Eu sei que ando meio ausente daqui por esses dias. É que ando meio ocupado com os preparativos para minha viagem a Brasília, para as festas de fim de ano. É a primeira vez que saio do estado do Rio e que viajo de avião. Isso, salvo crise aérea, ocorrerá no dia 22. Peço aos meus fiéis leitores: esperem por mais textos. É que a inspiração anda meio sumida.

4.12.07

ERRAR É HUMANO. PERSISTIR NO ERRO...



Eu iria escrever um texto sobre a vitória do "Não" no referendo constitucional venezuelano, que brecou, por ora, as pretensões ditatoriais do presidente Hugo Chavez. Mas isso caiu por terra quando soube da segunda absolvição do ex-presidente (renunciou hoje, espertamente) do Senado, Renan Calheiros, por seus pares, nesta terça-feira.

Com isso, além de confirmar o nome de Renan como o mais "popular" entre os senadores nos últimos anos, o ato representa a mais contundente prova de burrice da classe política (a primeira absolvição foi esta). É por fatos como este que ficamos desanimados como brasileiros, e achamos difícil que o nosso país tenha jeito algum dia.

Agora, um pequeno jabá: os dois "protagonistas" deste texto são dois dos concorrentes ao tradicional concurso O Mala do Ano 2007. Tendo um tempo, votem, pois o nível da concorrência é altíssimo, se vocês me entendem. Conheça os demais candidatos aqui. Aproveitem e dêem seu voto, ali à direita.

1.12.07

TV BRASIL: UMA EMISSORA QUE NÃO PODEMOS DEIXAR DE DESSINTONIZAR



Oito horas e meia antes do início oficial das transmissões em sinal digital da televisão no Brasil, entrará no ar neste domingo, às doze horas, a pretensa TV pública brasileira. Algo que, segundo o governo Lula, será nos moldes da britânica BBC. Em algumas cidades, como o Rio de Janeiro, a emissora (Empresa Brasileira de Comunicações, ou simplesmente TV Brasil) substituirá a TV Educativa, no canal 2. A emissora carioca foi fundida com a estatal Radiobrás. No seu início, sua programação terá praticamente apenas programas da TVE e da TV Nacional de Brasília, além de alguns programas da TV Cultura de São Paulo.

Como já se desconfiava por causa de tanta onda pra criar uma emissora de TV - cujos índices de audiência certamente não passarão do traço, como ocorre há tempos com as emissoras já citadas - gastando milhões de reais de cofres públicos, a confusão reina na TV Educativa (emissora com quase 40 anos de história e que, mal ou bem, tinha uma programação ao menos digna, com atrações premiadas no país e no exterior) poucos dias antes da sua extinção. Há acusações de censura velada a opiniões que possam contrariar o governo. Além disso, altos executivos da emissora pediram demissão, criticando a forma com que estão tratando a criação da TV Brasil, com direito a um conselho em que só há um especialista no assunto (o consagrado José Bonifácio de Oliveira Sobrinho, o Boni, que certamente embarcou numa canoa furada) - este conselho é altamente, como dizer?, eclético, com figuras como o rapper MV Bill e a carnavalesca Rosa Magalhães, entre outros.

Já tinha percebido que coisa boa não sairia quando contrataram para chefiar a emissora a jornalista Tereza Cruvinel (autora de artigos notoriamente pró-governistas), além de Helena Chagas (aquela do caseiro) e do ex-governador paulista Cláudio Lembo (crítico da "elite branca" quando estava no poder). Antes disso tudo, já havia sido nomeado ministro da Comunicação Social o também jornalista Franklin Martins. Mas vejo que a tendência é piorar daí pra frente. Mesmo porque, como já tinha dito, serão jogados milhões e milhões de reais de dinheiro público pelo ralo, para fundar e manter no ar uma emissora de TV pública (e estatal, o que é totalmente incompatível) que pouquíssimas pessoas irão assistir.

30.11.07

UM EXEMPLO PARA O BRASIL



A oposição venezuelana, enfim, dá mostras de força e sinais de vida ao promover uma gigantesca marcha pelas ruas de Caracas, contrária à proposta do governo de mudar vários pontos da Constituição do país, num referendo que será realizado no próximo domingo. Dezenas de milhares de pessoas saíram às ruas da capital venezuelana em campanha pelo "Não", que segundo pesquisas está em pé de igualdade com a proposta chavista. Resta saber se a votação será limpa...

De todo modo, é um exemplo para a população brasileira, que parece cada vez mais passiva a respeito da classe política. Infelizmente, isso é uma constante, salvo raras exceções. Quando a classe estudantil brasileira, por exemplo, sai às ruas, geralmente é para ficar de olho em seus próprios interesses. Tanto que a UNE só é "exemplo" quando é oposição, como no caso do impeachment de Collor ou nos oito anos de "Fora FHC". Quando é governo (como agora), aproveita bem as benesses dos mandatários do poder, como no caso de angariar fundos para a construção de sua sede.

28.11.07

DEU CHABU? É SÓ IMPLODIR



Dois verdadeiros desastres dão mostra de como o Brasil está longe de ter jeito um dia. No Pará, como todos sabemos, uma jovem de 15 anos (completará 16 no mês que vem), acusada de furto, foi presa e teve que dividir a cela com 20 detentos do sexo masculino. Não é preciso ter uma imaginação fértil pra deduzir o que aconteceu durante esses dias. O pior foi ter que aturar o delegado-geral da Polícia paraense dizer que a moça tinha distúrbios mentais por não se dizer menor de idade no momento da prisão (como se fizesse alguma diferença ela se maior ou menor...).

Na Bahia, no último domingo, sete torcedores morreram ao despencar da arquibancada da Fonte Nova, caindo no lado de fora do estádio, no jogo em que o Bahia confirmou seu acesso à Segunda Divisão do Campeonato Brasileiro, ao empatar sem gols com o Vila Nova. Há meses, o estádio foi considerado o pior do Brasil, depois de vistorias em vários estádios do país, que sediará a Copa do Mundo de 2014. Não é preciso ter olho clínico para verificar que a Fonte Nova não tinha condição alguma de receber qualquer partida - quanto mais uma com grande apelo de público.

Ambos os casos têm algo em comum, além da extrema lentidão do poder público: os governos dos dois estados decidiram pela demolição, como se fosse adiantar alguma coisa. Como se a humilhação imposta à jovem presidiária pudesse ser anulada, de uma hora para outra. Como se sete vidas perdidas estupidamente pudessem ser trazidas de volta. A falta de um presídio feminino decente ou de um estádio com condições dignas mostram como o nosso país anda doente, em estado quase terminal. Isso é tão óbvio que chega a ser constrangedor. E os nossos governantes, pelo visto, não conseguem enxergar o óbvio.

27.11.07

ENQUANTO ISSO, NA BOLÍVIA...

O filhote chavista que preside a Bolívia imita o criador e desperta os instintos mais primitivos dos departamentos (correspondentes aos nossos estados) mais ricos do país, que querem maior autonomia para administrar os recursos naturais que produzem. A nova Constituição que o presidente Evo Morales aprovou em La Paz causou protestos principalmente na cidade de Sucre, onde a Carta foi aprovada pela Assembléia Constituinte boliviana, boicotada pela oposição.

A acusação de golpismo, que certamente será perpetrada pelos governistas (parece até um determinado grupo que os brasileiros conhecemos muito bem), é na verdade uma cortina de fumaça para encobrir a tentativa de perpetuação da situação na Bolívia. Ressalte-se uma coisa: os estudantes bolivianos, assim como os venezuelanos, dão exemplo para a UNE no Brasil. E o presidente Lula, mais uma vez, irá dizer que a democracia não está ameaçada na América do Sul...

21.11.07

ABSURDOS (OU NÃO) DE UM BRASIL VARONIL

Os últimos dias estão sendo pródigos em assuntos que mostram o absurdo que está o país nos dias de hoje. Três deles, porém, chamam a nossa atenção.

É notório que o Brasil anda violento. É óbvio que o país precisa de segurança. Mas o azar de um turista italiano que morreu atropelado por um ônibus enquanto o assaltante fugia, na orla de Ipanema, superou todas as marcas de ineficiência do poder público. A polícia está à caça do bandido, que é integrante de uma conhecida gangue que atua usando bicicletas na região. Não se sabe se os policiais obterão sucesso. Mas sabe-se que o caso é mais uma mancha no já combalido turismo no país.

Na semana passada, o caso do homem que matou a ex-namorada, suicidando-se logo depois, num município paulista também chocou o país. Isso aconteceu depois que ele a manteve refém por onze horas. O detalhe é que ele era reincidente: saíra da cadeia, amparado por liminar. Ele tinha sido preso exatamente por tê-la feito refém antes, por cinco horas.

Mas o absurdo dos absurdos ocorreu no Pará. Uma jovem (presume-se que seja uma menor de 15 anos), depois de cometer um roubo, acabou dividindo uma cela com 20 homens. Os policiais que fizeram isso não devem ter previsto, mas evidentemente ela sofreu abusos sexuais em troca de comida, dentro da cadeia. Depois, uma reportagem afirmou que a presidiária teria 20 anos. O que não faz diferença nenhuma, visto que, menor ou não, ela deveria estar numa cela separada. Mas estamos no Brasil...

16.11.07

"EL FANFARRÓN" ATACA NOVAMENTE



Já é a quarta mensagem seguida que escrevo sobre esse indivíduo, mas ele não deixa ninguém em paz. Agora, o presidente venezuelano Hugo Chavez anunciou que pretende que seu país tenha um programa nuclear. O mundo já viu esse filme antes...

Por mais contraditório que possa parecer, afirmo que isso é uma esperança. Digo isso porque, enfim, parece que os Estados Unidos vão tomar alguma providência se isso for levado a cabo. A maior potência militar do planeta não seria louca de deixar que um país desafeto desenvolva armas nucleares debaixo de suas barbas. Basta lembrar a crise na Baía dos Porcos, quando mísseis soviéticos quase foram instalados em território cubano.

Isso poderia ter sido feito no caso de um famoso aliado venezuelano, o Irã. Acontece que as forças armadas norte-americanas estão mais que atoladas no Iraque e ainda atuam no Afeganistão - portanto, não iriam querer abrir uma terceira frente de batalha no Oriente Médio, que já é naturalmente um barril de pólvora esperando o pavio ser aceso.

Enquanto isso, os aliados do Baath continuam soltando bobagens a torto e a direito. O PT defendeu Chavez atacando a Espanha, ligando a monarquia espanhola ao fascismo! Além de demonstrar total desconhecimento da História, o partido do governo comprova não ter qualquer noção de ridículo.

14.11.07

O CORPORATIVISMO QUE CHEGA A BEIRAR O RIDÍCULO

Como já era de se esperar, o presidente Lula defendeu Hugo Chavez do cala-boca espanhol do último final-de-semana. Não é novidade nenhuma, inclusive nas ridículas afirmações de que a democracia venezuelana não está ameaçada, com direito a comparações com o governo de Margaret Thatcher na Grã-Bretanha (por algum acaso, houve alguma mudança constitucional no meio do mandato pra beneficiar o titular da chefia de governo como está ocorrendo agora na Venezuela?).

O triste disso tudo é que nossos governantes parecem cordeirinhos diante de Chavez. Ele desanca instituições brasileiras em nosso território, debaixo de nossos narizes, e ninguém faz nada pra impedi-lo. Pelo contrário: muitos o endeusam, acreditando na utopia da "integração latino-americana".

Mas não tem nada, não. Dizem que a melhor propaganda contra o esquerdismo é deixar um esquerdista abrir a boca. O tiranete bolivariano fez beicinho e exigiu desculpas do rei Juan Carlos I. Ainda por cima, ele se diz desconfiado de que o monarca sabia daquela tentativa de golpe contra Chavez; além disso, diz estar de olho em empresas espanholas que atuam no país. Só falta querer nacionalizá-las, o que não seria novidade.

13.11.07

"POR QUE NÃO SE CALA?"

O cala-boca que o rei da Espanha e o primeiro-ministro Zapatero deram no presidente venezuelano Hugo Chavez no último final de semana, em Santiago, continua dando o que falar. Virou hit na Internet e até toque de celular. Realmente alguém tinha que colocar o tiranete bolivariano em seu devido lugar, com a elegância que ele nunca teve no trato com seus adversários.

A página de Ancelmo Gois no Globo Online perguntou o que Lula faria se ouvisse um outro chefe de Estado atacando verbalmente o antecessor Fernando Henrique Cardoso, assim como Zapatero ouviu Chavez criticar duramente José María Aznar, aquele que foi derrubado pela Al-Qaeda. E tristemente concluo que Lula concordaria com tudo que ouvisse, ainda contribuindo para o bombardeio verbal.

Se bem que tem gente por aqui precisando de um rei da Espanha pra calar-lhe a boca...

10.11.07

ATÉ QUE ENFIM!

Finalmente alguém botou esse cara no seu devido lugar.

Pena que não temos nada parecido aqui no Brasil. Não duvido nada que nossos mandatários resolvam defendê-lo, mais uma vez.

7.11.07

MAIS UMA QUE FICA NO CHÃO



A companhia aérea BRA (mais uma daquelas companhias aéreas populares de quem poucos tinham ouvido falar até hoje, apesar de ser a terceira maior do país, só atrás de Gol e TAM) anunciou a suspensão de seus vôos e a demissão de 1.100 funcionários - muitos dos quais eram antigos empregados da Varig.

É mais um (apenas mais um) capítulo da crise aérea que atinge o país há mais de um ano. Pensar que tudo começou (ao menos para os leigos e para os olhos do grande público) com uma falha que causou o acidente da Gol em setembro do ano passado. Desde então, a situação só fez piorar. E cadê o Ministério da Defesa que não toma nenhuma providência? Mudou o ministro mas não mudaram as atitudes. E quem paga o pato é a população que depende da malha aérea.

6.11.07

TINHA QUE SER O CHAVEZ



O presidente venezuelano Hugo Chavez não toma jeito, mesmo. Na semana passada, foi aprovada pela Assembléia Nacional do país uma reforma (com a modificação de 69 artigos da Constituição nacional), a ser votada pela população em referendo no início do próximo mês, que beneficia o chefe de Estado em praticamente tudo que se possa imaginar. Entre as vantagens, estão a possibilidade de expropriação de propriedade privada sem mandado judicial e controle do Banco Central - algo ainda mais vasto que o denunciado anteriormente aqui.

O pior é que essa aberração não tem a menor chance de ser rejeitada. Por um simples motivo: há um patrulhamento generalizado e, de certa forma, sofisticado na Venezuela, o que faz com que cada voto contrário seja "rastreado" pela Justiça Eleitoral no país. E o aparelhamento ideológico por lá é bem típico de ditaduras - tanto que até um antigo aliado afirma que Chavez está indo longe demais no seu projeto de "socialismo do Século XXI".

Cadê o Brasil pra criticar as intenções totalitárias chavistas? O governo daqui afirma que não se deve meter o nariz em assuntos de outros países. Devem estar esperando eles meterem o nariz em nossos assuntos - o que, aliás, eles fazem há muito tempo. E a tendência é piorar ainda mais.

30.10.07

ROSITA GAROTITO


A senadora e primeira-dama Cristina Fernandez de Kirchner tornou-se, neste domingo, a primeira presidente eleita da Argentina (e será a segunda mulher a assumir o cargo, visto que Isabelita Peron era vice de Juan Domingo Peron, e era a presidente quando sofreu o golpe militar de 1976). Algo que poderia ser encarado como inovador, mas ocorreu uma coisa parecida no Brasil, mais precisamente no estado do Rio, há cinco anos. Foi quando Rosinha Garotinho foi escolhida para terminar o que o Anthony havia feito, superando o criador - seu governo é considerado o pior da história do Rio de Janeiro, superando os dois de Brizola, o que não é pouca coisa.

Para marcar este momento tão especial, inauguro a sessão Cartazes Infames - uma apologia aos publicitários fracassados, com imagens simples e frases de efeito. Não desejo o mal a ninguém (nem pros argentinos...), mas há quem torça por um destino do país vizinho, que seja idêntico ao sofrido pelos cariocas e fluminenses.

Este cartazete de abertura diz tudo. Pra vê-lo em tamanho maior, é só clicar.

25.10.07

COMO DESVIRTUAR UMA SIMPLES DECLARAÇÃO



A operação policial na Favela da Coréia continua dando o que falar. Em entrevista à rádio CBN, o secretário de Segurança do Rio, José Mariano Beltrame, disse que um tiro em Copacabana é diferente de um tiro na favela da Zona Oeste onde se deu a operação da Polícia Civil. O secretário pecou por não ter se explicado direito. Ou seja: tome lascada de OAB, ONGs e direituzumanos no lombo.

Essas declarações foram interpretadas como a oficialização do privilégio aos ricos e da criminalização da população pobre. Nada mais falso e oportunista. O que ele quis dizer é que a tática é diferente: nas favelas há a criminalização mais pesada, a base daquilo que aterroriza a população como um todo. E, enquanto esse estado de coisas assim permanecer, as operações nessas localidades se farão extremamente necessárias. Negar isso só beneficia a opressão dos bandidos à população carente das favelas.

Além disso, existe uma outra tese, esta mais popularizada: um tiro no asfalto tem maior repercussão que um tiro no morro. O que não deixa de ser verdade. Pode-se concordar ou discordar da atual política de Segurança. Mas uma coisa é certa: o atual secretariado está mostrando mais serviço do que todos os outros anteriores, nos últimos 30 anos, pelo menos. E digo mais: está se mostrando uma grata surpresa, na minha opinião.

22.10.07

UM CAMPEÃO DISCRETO E JUSTO


Depois de dois vice-campeonatos, o finlandês Kimi Raikkonen, piloto da Ferrari, finalmente conquistou o título mundial de Fórmula-1, neste domingo, no Autódromo José Carlos Pace, em Interlagos, São Paulo.

Nada mais justo. Mesmo porque nem a McLaren nem seus pilotos (o espanhol Fernando Alonso, que tentava o tricampeonato, e o britânico Lewis Hamilton, que liderava o campeonato até o fim) fizeram por merecer o título. A equipe inglesa já estava satisfeita por "apenas" perder seus pontos por espionagem. Já Alonso pecava pelo pedantismo, enquanto Hamilton pagou caro por sua inexperiência, apesar de seu talento (jogou o título fora em duas corridas seguidas).

Como quem não queria nada, Raikkonen foi chegando. Era o azarão até as últimas voltas, quando fez um jogo de equipe com seu companheiro de escuderia, o brasileiro Felipe Massa, através de paradas nos boxes. E a vitória foi até natural. Foi o título da discrição e, acima de tudo, da honestidade e do respeito às leis. Em 2008, tem mais.

21.10.07

E O PIOR É QUE ESSA MODA AINDA VAI PEGAR...


O presidente venezuelano Hugo Chavez obteve uma vitória política e, ao mesmo tempo, uma derrota para o pouco que resta de oposição do país. Na calada da noite, a Assembléia Nacional da Venezuela aprovou o mandato presidencial de seis para sete anos (já valendo para o corrente mandato), além de garantir reeleição indefinida para o presidente. A quantidade de reformas permite concluir que há uma espécie de oficialização da ditadura bolivariana em curso, inclusive com possibilidade de aumento de restrição à liberdade de informação.

Como todos já devem ter percebido, tem gente aqui deste lado da fronteira de olho, querendo fazer igual. E o aparelhamento ideológico já vem de longe. Não é preciso muito esforço para perceber os perigos. O pior é que poucos se esforçam para combatê-los.

20.10.07

HOJE É DIA DE...

...dar mais uma voltinha nesse mundo louco.

Tudo bem, vida que segue.

18.10.07

AS OPERAÇÕES POLICIAIS E OS DEFENSORES DOS 'DIREITUZUMANOS'


Quando alguma incursão policial numa favela obtém resultados consideráveis, é batata: é questão de tempo para os defensores dos direituzumanos do tipo Viva Rio, OAB-RJ e ONGs à moda daquela do filme Tropa de Elite meterem o pau.

Foi o que aconteceu depois da operação na Favela da Coréia, em Senador Camará, Zona Oeste do Rio. Nela, morreram doze bandidos, além de um policial e de uma criança de quatro anos, assassinada por um traficante. Uma cena da operação, exibida na TV, impressionou: dois bandidos foram perseguidos e mortos pela polícia, despencando ladeira abaixo, depois de terem atacado um helicóptero.

O presidente da OAB-RJ, o notório lulista Wadih Damous (aquele mesmo que detonou o movimento Cansei muito antes dos demais), declarou-se horrorizado com as cenas, repetindo as mesmas lorotas que os ongueiros pró-bandidagem costumam dizer. Além disso, um abaixo-assinado de ONGs, mais uma vez, defendeu os pobres bandidinhos dos policiais malvados que só estavam ali para aterrorizar a vida do povo...

Ou seja, novidade nenhuma. Pra quem achar que é, bem-vindo ao Brasil.

16.10.07

NO BRASIL, SER RICO VIROU CRIME


Estou meio atrasado em relação a escrever sobre esse assunto, mas vou falar dele assim mesmo.

O artigo escrito pelo apresentador Luciano Huck sobre a violência urbana, depois de ter um relógio de pulso, da marca Rolex, roubado num sinal de trânsito em São Paulo (em que ele se queixava da insegurança nos nossos grandes centros e chegava a pedir pela presença de alguém como o Capitão Nascimento do filme Tropa de Elite), foi interpretado por muitos como um grito "dazelite cansada" - ou seja, segundo a ótica dos críticos, ele teria que estar satisfeito por ter sobrevivido e aceitar sua sorte sem reclamar.

Assim como o direito de viver dignamente, todo brasileiro honesto, não importa se rico ou pobre, deve ter o direito de viver em segurança - e o poder público tem o dever de propiciar segurança à população, pois foi eleito para isso. Ao contrário do que muitos interpretaram, Huck não reclamava do roubo de um Rolex - afinal de contas, poderia perfeitamente comprar outro -, mas reclamava como cidadão pagador de impostos, assim como o fazia por aqueles que não tinham condições de se defender. E a sua menção ao filme Tropa de Elite - o mais novo alvo do esquerdismo à Robin Hood - apenas colaborou para aumentar o massacre ao missivista.

Mas o buraco é muito mais embaixo. O que há no Brasil da Era Lula é a satanização das elites, do enriquecimento através do esforço honesto. É a glorificação do pobrismo, ou seja, do orgulho de ser pobre, que é muito diferente de não sentir vergonha de sua pobreza. Criou-se a idéia de que todo rico é corrupto e todo pobre é uma vítima do "injusto sistema capitalista". Ou seja, ser rico parece ter virado um crime inafiançável no Brasil. Aconteceu com o movimento Cansei, capitaneado pelo empresário Dória Jr., que clama por um país mais honesto e ético, mas é interpretado como golpista pelos movimentos de esquerda pró-governistas. E está acontecendo agora com Luciano Huck.

15.10.07

A ESPERTEZA PUBLICITÁRIA

O Banco Santander anunciou recentemente a compra do ABN-Amro, que é dono do Banco Real no Brasil. E isso certamente afetará a publicidade do Real, que é vista como aquela que mais aproxima a instituição de seus clientes. Entre suas bandeiras, estão a sustentabilidade e a responsabilidade social, além da atenção à natureza, tão em voga nos dias de hoje. Há o temor entre os seguidores dessa filosofia que isso desapareça, com a aquisição pelo Santander, que com a compra se tornou o segundo maior banco privado do país.

Claro, alguns concorrentes (espertos ou oportunistas, vai saber...) estão de olho neste filão. O HSBC lançou uma campanha de conscientização ecológica. Não sei se ela surgiu antes ou depois da compra do ABN (e, por tabela, do Real) pelo Santander, mas o fato é que se trata de uma oportuna campanha de marketing para os clientes preocupados com a poluição e o aquecimento global...

O comercial (não achei nenhum link para ilustrar) é que não é lá essas coisas. Uma mulher se aproxima de seu carro estacionado diante de uma calçada. Ao mesmo tempo, no meio de uma floresta, dois lenhadores começam a cortar uma árvore. A motorista abre a porta do carro e um dos lenhadores, como se fosse um boneco de vodu, abre os braços de forma, digamos, bem esquisita. A motorista liga o carro e o rádio, que toca uma canção disco, muito presente em paradas do Orgulho Gay... Claro, o lenhador solta a franga, rebolando pra frente e pra trás simultaneamente à saída do carro de onde estava estacionado. E começa a caminhar dançando, atrás de seu apavorado colega.

Publicitário fosse, eu faria melhor. O tal carro, depois de sair do estacionamento, receberia uma violenta colisão por trás. Aí, quem ficaria apavorado seria o alegre lenhador. A patrulha do politicamente correto certamente iria chiar. Mas o comercial, certamente, faria muito sucesso, ganharia vários prêmios internacionais de publicidade e estaria consagrado como uma grandiosa e bem-humorada campanha de uma instituição financeira. Ou não.

11.10.07

A ALTA FIDELIDADE PETISTA


Nesta quinta, o presidente do Senado, Renan Calheiros, decidiu se licenciar do cargo, dizendo que pretende "preservar a imagem da casa". Concordo. Só não conseguiu esconder que fez isso porque o governo o deixou ao Deus-dará, ao perceber que se afundaria cada vez mais. Tanto que, dias antes, o senador petista Aloísio Mercadante se desentendeu com Calheiros, que o deixou falando sozinho no plenário. Logo Mercadante, que dera uma prova de lealdade ao governo quando se absteve de votar no processo de cassação de Calheiros, naquele infame 12 de setembro em que 46 (40 que votaram contra a cassação mais os seis que se abstiveram) senadores decidiram que Calheiros iria continuar na presidência do Senado.

Se querem saber a minha opinião sobre isso tudo, não me senti surpreso - apesar da teimosia de Calheiros em continuar no cargo, pelo menos até ontem. É que os governistas do PT não são honestos, mas também não são burros. Eles perceberam que, ao apoiar Renan, iriam afundar em credibilidade junto com ele. Por isso, o deixaram na mão.

8.10.07

RE: UM MIMO DE MEME

Onildo me recomendou seguir esta corrente internética que vocês verão aqui. Achei interessante e resolvi dividi-la com vocês.

Essas são as instruções:

1ª) Pegar um livro próximo (PRÓXIMO, não procure);

2ª) Abra-o na página 161;

3ª) Procurar a 5ª frase completa;

4ª) Postar essa frase em seu blog;

5ª) Não escolher a melhor frase nem o melhor livro;

6ª) Repassar para outros 5 blogs

A frase resultante é esta:

"Foi uma suposição tão nítida, tão convincente, que ela a identificou como um presságio."

(MÁRQUEZ, Gabriel García. Cem Anos de Solidão. Tradução de Eliane Zagury. Rio de Janeiro, O Globo; São Paulo, Folha de S. Paulo, 2003)

Recomendo para os seguintes blogs (só segue quem quiser, claro):

1) Butuca Ligada

2) Todo Mundo Quer Confete

3) Frodo Balseiro

4) Contatos Imediatos de Terceiro Grau

5) The World Is Mine!

5.10.07

O FILME DO ANO. OU MELHOR, DOS ÚLTIMOS ANOS


Hoje, tive a oportunidade de assistir ao filme Tropa de Elite, de José Padilha (o ingresso está ao lado). E afirmo uma coisa: o filme é um belíssimo soco no estômago da hipocrisia nacional.

O filme conta a história de um chefe do Batalhão de Operações Especiais (BOPE) que, demonstrando claros sinais de desgaste psicológico e estresse, além de estar interessado em dar mais atenção à família, procura um substituto. Já aposentado, ele narra o enredo que é muito bem desenvolvido, da maneira crua como o problema da violência raramente é enfrentado e mostrado para o público.

Ao mesmo tempo, através da visão do então chefe do Batalhão, é contado como há a incoerência entre o pensar e o agir - uma ONG que depende de bandidos para funcionar dentro de uma favela; uma passeata contra a violência, depois da morte de duas pessoas que cavaram suas próprias sepulturas, organizada por amigos, dentre os quais os consumidores de drogas que acabam alimentando o tráfico; o sucateamento da polícia, enquanto alguns dos oficiais de alta patente são cúmplices de atos ilícitos... Está tudo lá. E isso vai, no mínimo, demorar décadas para ser consertado.

Ao olhar a reação de alguns que se postaram contra o que o filme, embora indiretamente, propôs escancarando esses problemas, faço uma reflexão: por que será que esses críticos querem que tudo permaneça como está, impedindo que tais problemas comecem a ser resolvidos? Por que será que existe a cultura do pobrismo tão forte? Perguntas que eu gostaria de verem respondidas um dia.

O PAPAI NOEL DE SIERRA MAESTRA


Sempre vi com certo ceticismo o endeusamento de Ernesto "Che" Guevara pelas esquerdas de todo o mundo. Todo aquele que é visto como intocável, em minha opinião, deve ser visto com ressalvas - afinal de contas, ninguém na História atingiu a perfeição absoluta. E Guevara era visto como aquele que queria alcançar o impossível, que desafiou todas as dificuldades, que personifica o sonho que deve ser realizado, aquelas bobagens todas.

Na próxima semana, fará 40 anos de sua morte - o movimento MR-8, aquele do Hora do Povo, tem esse nome exatamente para homenageá-lo (Movimento Revolucionário 8 de Outubro, referência à suposta data da morte do guerrilheiro argentino). Nesta semana, a revista Veja publicou matéria de capa desconstruindo o mito guevariano. Despindo-se de quaisquer barreiras ideológicas (o que, nos movimentos de esquerda, é difícil de acontecer), o leitor poderá comprovar que o homem não é tão santo assim. Muito pelo contrário. A leitura valerá a pena. Logo no início da matéria, uma frase que teria sido dita por Guevara, momentos antes de sua morte, é bem significativa de sua visão de heroísmo: "Não atirem. Sou Che. Valho mais vivo do que morto".

Ao ler sobre a matéria, muita gente que venera o companheiro do hoje decrépito Fidel Castro (como bem diz o final da reportagem, a grande sorte de Guevara foi ter morrido ainda jovem, pois não teve tempo de assistir à derrocada do comunismo) poderia perfeita e definitivamente vê-lo com outros olhos. Infelizmente, isso não acontecerá. Seus eternos seguidores preferirão continuar acreditando no Papai Noel de Sierra Maestra.

3.10.07

PMDBAGUNÇA


Criado como uma alternativa democrática ao regime militar que vigorava no Brasil, o MDB (Movimento Democrático Brasileiro) sempre foi admirado por ser um partido aberto a várias correntes ideológicas (mesmo porque não havia outra opção na oposição na década de 70). Nos anos 80, ganhou a palavra "Partido" em seu nome, perdeu vários quadros para novas agremiações que surgiam no rastro da abertura política nacional (como o PT em 1980 e o PSDB em 1988, para citar os dois maiores exemplos), mas continuou sendo o maior partido do país durante certo tempo. Porém, sua alta "flexibilidade" política causa alguns constrangimentos.

Nos últimos anos, o PMDB se notorizou como um partido altamente volúvel e, não raro, chapa-branca, que mudava de opinião ao sabor dos acontecimentos (certo dia, Reinaldo Azevedo se referiu a ele como "partido de programa"). Não tem candidato próprio à presidência desde 1994 (com Orestes Quércia). Aproveitando-se dessa falta de personalidade própria, apóia o governo (não importa qual seja) em seus piores momentos. O caso do presidente do Senado Renan Calheiros, filiado ao partido, é bem significativo.

Aqui no estado do Rio, essa divisão é ainda mais acentuada. O casal ex-governador Anthony Garotinho (presidente regional do partido) e Rosinha Matheus anda às turras com o correligionário e atual ocupante do Palácio Guanabara, Sérgio Cabral Filho. Numa das alianças mais bizarras dos últimos tempos (embora até esperada - ambos têm em comum a oposição ao governo federal -, mesmo que prime pela total incoerência), Garotinho fez um acordo com o atual prefeito do Rio e inimigo declarado, Cesar Maia (DEM), que promete uma coligação para as eleições municipais do próximo ano, em que o antigo PFL faria a cabeça da chapa na capital fluminense. Evidentemente, o atual governador ficou tiririca com o ex-aliado. Convidou o seu secretário de Esportes e Turismo, Eduardo Paes, a trocar o PSDB (partido pelo qual foi deputado federal e se candidatou ao governo do estado) pelo PMDB, visando a concorrer à prefeitura. Como já era esperado, a cerimônia de filiação foi um tumulto só, com as claques dos dois lados só faltando se digladiar. É uma batalha de final imprevisível. E o temor é que ele não seja nada feliz para os cariocas e fluminenses.

2.10.07

ALVÍSSARAS! 'TROPA DE ELITE' ESTREARÁ UMA SEMANA ANTES DO PREVISTO


Uma excelente notícia pra quem é carioca ou paulistano e não está se agüentando de ansiedade pra assistir ao filme Tropa de Elite como deve ser, na tela grande. Os produtores resolveram antecipar a estréia do filme, que seria em 12 de outubro, para a próxima sexta-feira, dia 5 - mas somente para as regiões metropolitanas do Rio e de São Paulo.

Tomara que o filme estréie no UCI Kinoplex do NorteShopping, que fica a apenas meia hora de onde moro, a pé. Na semana passada, fui assistir a Cidade dos Homens e ganhei o direito de assistir a outro filme, com 50% de desconto, se voltar dentro de dez dias. Ou seja, juntarei o útil ao agradável na próxima sexta. :-)

26.9.07

O INCENDIÁRIO-MOR ATACA NOVAMENTE


Em visita a Nova Iorque para uma conferência da ONU, o polêmico presidente iraniano Mahmoud Ahmadinejad segue em seu tom desafiador ao Ocidente e justifica a fama de grande "muso" das esquerdas na atualidade.

Em visita a uma universidade norte-americana (Columbia University), Ahmadinejad defendeu seus pontos de vista após ouvir umas pequenas verdades do reitor. Durante seu discurso, afirmou que não havia homossexuais em seu país - o que provavelmente é verdade, por motivos que todos sabem quais são... Ainda queria visitar os escombros do World Trade Center, mas a polícia nova-iorquina não permitiu, por motivos de segurança - no que fez muito bem.

De todo modo (e não é de hoje que falamos isso), apesar de parecer um pateta, o presidente do Irã é um homem perigoso. Sua política de enriquecimento de urânio, pretensamente para fins pacíficos, vai de encontro com as suas declarações negando o Holocausto e conclamando à destruição de Israel. Ele próprio é acusado de ter participado do seqüestro à embaixada dos Estados Unidos em Teerã, na época da Revolução Islâmica, em 1979. Ou seja, que ninguém diga que ele não tem "história".

Um bom parâmetro para ver quem tem razão, em relação à política nuclear iraniana, é ver quem apóia e quem não apóia. A maior parte do mundo democrático é contrária (o mais novo crítico é o presidente francês, Nicolas Sarkozy). Já os que apóiam... Hugo Chavez (amigão do peito de Ahmadinejad), Rafael Correa (em cuja posse o iraniano compareceu), Kim Jong-Il (que forneceu grande parte da tecnologia)... Até ele. Mas não é surpresa. Para alguém cujo partido fez acordo com o Baath...

23.9.07

OSSO DURO DE ROER

Uma prova de que o filme Tropa de Elite merece fazer sucesso: o esquerdismo, acostumado a obras que afaguem a sua mais pura ideologia, está começando a cair de pau no filme. Eu só verei a produção no mês que vem, mas já gostei dela (não verei a versão pirata nem a pau, não adianta nem insistir).

O Onildo, através de seu Blogildo, que não morre de amores pelo cinema nacional, já deu uma mostra de quanto o Tropa é grandioso e um dos melhores brasileiros lançados nos últimos anos. Pelo texto, a produção é um tapa na cara daqueles que são os financiadores da violência. Já por ele, fiquei com muita vontade de assistir ao filme.

Agora, os do contra já começam a atacar. Leiam este exemplo. A perfeita idiotia latino-americana continua em ação.

22.9.07

MAIS UMA DO NOSSO FUTURO PRESIDENTE

Na Folha Online de hoje:

"Ciro diz que CPMF é assunto de branco que não quer pagar imposto"

Estou esperando uma reação do movimento negro brasileiro em relação a uma frase dessas. Acho melhor esperar sentado.

21.9.07

A MENSAGEM QUE TODOS DE BEM DEVERIAM DIZER


Eu, seguindo a mesma linha, diria outra coisa. Mas, por questão de educação, nada mais escreverei.

20.9.07

PERNA DE PAU, OLHO DE VIDRO, CARA DE MAU



Há anos, a pirataria atormenta as autoridades por representar uma "opção" de vendas às custas de não-pagamento de impostos e baixa qualidade dos produtos. Ou seja, uma forma de contravenção, com o agravante de ter se tornado uma grande fonte de renda do crime organizado, mais até do que o tráfico de drogas - pelo motivo de, diferentemente deste caso, acarretar no consumo de produtos que "não fazem mal". Entretanto, o resultado é o mesmo.

O Brasil é um dos líderes mundiais no consumo de produtos piratas. Até aí, nenhuma novidade. O grave disso é que a população vê a pirataria como algo comum e até como forma de protesto contra os altos preços (para grande parte dela) dos produtos oficiais. E quando o produto oficial ainda nem foi lançado? Isso acontece muito no cinema, com o lançamento de DVDs "oficiosos" de filmes de potencial sucesso. O que ocorreu, aqui no Brasil, com Tropa de Elite, de José Padilha.

O filme se tornou um grande sucesso ao vazar em DVDs piratas pelas ruas do Rio, tornando-se um grande sucesso antes mesmo de ser lançado nos cinemas - o que rendeu suspeitas de que se tratava de uma campanha de marketing, rechaçadas pelo diretor. De todo modo, não se sabe se esse boca-a-boca todo se refletirá em estouro de bilheteria. Tudo indica que sim: no Festival do Rio deste ano, o filme será exibido em uma única sessão aberta ao público, às 23:45 de sexta-feira, numa sala de Botafogo. Os ingressos se esgotaram em menos de duas horas. Só resta esperar o dia 12 de outubro, quando o filme estréia nos cinemas.

De qualquer maneira, a pirataria não é recomendada a ninguém. Além daqueles motivos todos já ditos e repetidos (diminuição de empregos, prejuízo aos produtores e artistas etc.), há o problema de financiamento ao crime. Ou seja, o consumidor de produtos piratas se equivale ao viciado que vai comprar drogas na boca-de-fumo da esquina. Penso da seguinte forma: se o produto original estiver caro, prefiro não comprar. Ou juntar dinheiro pra comprar depois.

19.9.07

INDUCASSÃO É TUDO!

Na edição de ontem de O Globo, o colunista Ali Kamel denunciou a tentativa de lavagem cerebral através de livros didáticos do Ensino Fundamental, com um que pretende lecionar História, da oitava série (para quem não leu, leia aqui). O texto é aterrador. Lembra-me muito as cartilhas educacionais dos regimes totalitários que o autor do referido livro tanto parece admirar. Os trechos inseridos no texto são para serem lidos ouvindo-se a Internacional no fundo. Mas tem mais.

O presidente venezuelano, Hugo Chavez, pretende "bolivarianizar" o ensino no seu país, ameaçando fechar escolas que não seguirem este tipo de ideologia. Inclusive as particulares, o que caracteriza intromissão extrema em assuntos que não são de sua alçada (já seria absurdo se o governo somente tivesse resolvido impor sua ideologia apenas no ensino público). Enquanto isso, por aqui mesmo, o governador do Paraná, Roberto Requião (um projeto chavista brasileiro, um Garotinho das araucárias), faz coisa parecida em seu estado, no que tange às escolas públicas. Entre outras coisas, seu governo distribui um livro de Educação Física que exalta o comunismo... Na época em que eu estudava, ninguém precisava de livro de Educação Física pra fazer exercícios. Muito menos de um livro como esse que existe no ensino paranaense. Ou seja, é difícil concluir qual das duas iniciativas (a brasileira e a venezuelana) surgiu primeiro. Só sabe-se que as duas se complementam.

É por essas e por outras que reluto em lecionar, mais de um ano depois de formado. Vai que eu tenha que trabalhar com um livro de Português que tenha algo do tipo (e, pelo visto, não falta muito pra isso acontecer): "Defina o tipo de sujeito na seguinte frase: 'Nunca antes neste país, houve tantos brasileiros beneficiados pelo melhor governo que este país já teve'"... Sai pra lá! Se é pra mexer com material esquerdopata, prefiro ficar desempregado!

P.S.: Falando em esquerdopatia, a nova página do jornal ultra-esquerdista Hora do Povo é um verdadeiro parque temático para o MR-8. Na coluna da esquerda, há links para assistir ao vivo às TVs Senado, Câmara, Educativa do Paraná (que é, em nível estadual, tudo o que a nova TV pública do Lula quer ser) e de uma emissora estatal venezuelana... Além disso, há os dos arquivos do jornal nos últimos nove anos. A bolivarianada vai fazer a festa.

18.9.07

SOBRE PROTESTOS E ATITUDES


Como escrevi certa vez, não bastava dizer "Basta!" frente à violência crescente, e que a ação consciente era a melhor saída. Até por esse motivo, costumo ver com ressalvas essas passeatas contra a corrupção e, mais ainda, contra a violência que pululam pelas ruas do Brasil. Na minha opinião, tais passeatas e protestos, apesar da boa intenção, simplesmente não têm o efeito desejado no combate à bandidagem e aos políticos corruptos.

Digo isso porque nunca antes neste país (olha a frase aí, de novo) houve tantos protestos contra qualquer coisa. Mesmo porque nunca houve tantos motivos para isso, e os entendo perfeitamente. Mas, por mais legítimas que sejam tais manifestações, qualquer uma delas está sujeita a ser inócua. De nada adiantará protestar contra a violência pedindo paz ou contra a corrupção pedindo a apuração de todos os fatos se não houver atitudes concretas, conscientes e coerentes para tal. Mesmo que esses protestos causem impacto e mexam com as pessoas, o que anda raro de acontecer.

14.9.07

PARA AQUELES QUE TIVERAM SEU VOTO TRAÍDO QUAL MARIDO DE MULHER "HONESTA"...

...recomendo a leitura deste texto do Serjão. Perfeito para os que, assim como este que vos escreve, ajudaram a eleger um senador no estado do Rio no ano passado e se sentiram traídos nesta semana.

Lembrem-se: vocês não estão sozinhos.

12.9.07

O "11 DE SETEMBRO" DO SENADO



Este dia 12 de setembro, guardadas as devidas proporções, talvez seja marcado como o dia em que houve uma grande tragédia para um país, assim como foi o dia anterior no calendário seis anos atrás. Exageros à parte, não vejo outra comparação plausível para o que ocorreu hoje à tarde no Senado Federal, com a absolvição de seu presidente, Renan Calheiros.

Ainda haverá mais três julgamentos em que Calheiros será o réu, por falta de decoro - mas o fato é que a justiça ficou mais difícil, graças à confirmação de que tem gente que gosta do "hômi" entre os seus colegas de trabalho.

E olha a coincidência: o número de senadores que votaram pela absolvição de Calheiros é igual ao de envolvidos no mensalão: 40! Que, por sinal, deverá ser o número de Ciro Gomes (PSB), o virtual candidato do governo nas eleições de 2010...

11.9.07

COISAS DO BRASIL...


Na semana passada, ventilou-se na imprensa um pretenso acordo entre o prefeito do Rio, Cesar Maia, e o ex-governador Anthony Garotinho para as eleições municipais do próximo ano. Nada mais constrangedor para as partes que estão no poder - tanto para o prefeito carioca, que parece disposto até a vender a alma ao capeta para não perder pelo menos sua influência sobre a cidade, quanto para o atual governador, Sérgio Cabral Filho, que é do mesmo partido de Garotinho (o PMDB) e vê a ameaça de ser minada sua parceria com o governo federal. Ou seja, nada mais Frankenstein na política fluminense. Se correr, o bicho pega; se ficar, o bicho come. E a população de bem paga o pato por esse jogo de empurra em busca pelo poder. Se bem que, às vezes, o feitiço vira contra o feiticeiro. Na manhã desta segunda-feira, o "poder paralelo" mostrou sua força mais uma vez, ilustrando perfeitamente essa situação.

Dois ministros e um secretário estadual estavam num trem que foi alvo de bandidos da Favela do Jacarezinho, por onde passava para promover a revitalização do acesso ferroviário ao Porto do Rio - projeto conjunto entre os governos estadual e federal. O pior foi o fato de os ministros reagirem ao fato como se fosse corriqueiro. Bem, pelo menos nas nossas grandes cidades, é... Um deles chegou a dizer que, por ser carioca, estava acostumado a encarar favelas e não havia problemas naquela ocasião. Só faltava dizer pro pessoal ficar tranqüilo pois o trem era blindado (e tenho a impressão que não era).

Mas não foi surpresa nenhuma. Neste ano, três ministros foram assaltados (um deles, o da Economia, dentro da casa de amigos - sua mulher disse que os assaltantes foram "supergentis"), e eles também se portaram como se fossem fatos normais. Quando pessoas de renome em um governo nacional se comportam com passividade ao sofrerem atos de violência, ao invés de exigirem providências das autoridades (e era o mínimo que poderiam fazer), é um problema sério. É muita incompetência. Ou cumplicidade, vai saber.

7.9.07

UM GRITO DE LIBERDADE

Neste finalzinho de feriado, um texto definitivo de Onildo Santos. Leia e tenha a alma lavada.

5.9.07

DROGA, ESTRAGARAM A SURPRESA!

No Extra Online de hoje:

A revista Chega Mais aposta num final bombástico para Paraíso Tropical: Taís (Alessandra Negrini) continua viva. Segundo a revista, Paula desiste de ir ao mercado, volta para casa e encontra a irmã. Taís envenena Paula e troca de roupa com a irmã.

Fico só imaginando a reação do Gilberto Braga ao ler a notícia:

"Droga, estragaram a surpresa! Vou ter que escrever tudo de novo!!!"

4.9.07

DA ARTE DE SER OPORTUNISTA

Essa história de o PT apoiar uma pretensa "reestatização" da Vale do Rio Doce, convenhamos, se trata de uma das coisas mais ridículas dos últimos tempos. Muitos interpretam isso como uma tentativa desesperada do partido governista de deixar de parar de identificar-se com a esquerda - algo do que partidos mais esquerdistas ainda, como PSTU, PCO e PSOL, vêm a acusar o PT desde que este ascendeu ao poder, há quatro anos. Não por acaso, em seu programa de TV na semana passada, o PSTU, entre exaltações aos 90 anos da Revolução Russa e aos movimentos de sem-terra, anunciou apoio a um "plebiscito" sobre a reestatização da Vale, que está ouriçando a sinistra brasilis.

Na verdade, o PT apenas se consolida como contrário às privatizações - tecla batida, mais do que nunca, durante o segundo turno das eleições presidenciais do ano passado, com acusações de "privatismo" das quais os adversários não souberam se defender, preferindo jogar para a platéia, como que pedindo desculpas pelas privatizações que deram certo. Até parece que, não fossem as privatizações, os serviços não iriam melhorar consideravelmente, deixando de sugar os recursos estatais. Ou seja, o governo Lula deveria agradecer aos governos anteriores. Mas parece que isso é contra a "proposta popular" dele.

1.9.07

SÓ RINDO

No Globo Online de hoje:

"Lula pede apoio aos réus do mensalão e diz que ninguém tem mais ética que o PT"

Como diria o saudoso Bussunda...

Fala sério.

CUIDADO, MINISTROS...

...que tem gente boa de olhos e ouvidos bem atentos. E no momento em que vocês menos esperam.

Aos poucos, máscaras vão caindo.

Tenho fé.

P.S.: É impressionante como tem gente que cai na pilha por qualquer coisa.

30.8.07

TELESPECTADORES MAIS DESESPERADOS AINDA


Estreou neste mês o seriado Donas-de-Casa Desesperadas, da RedeTV!, versão da premiada série Desperate Housewives, que conta a história de quatro vizinhas que vivem suas vidas, enquanto se recuperam do choque de perder uma quinta vizinha que se suicidou por um motivo misterioso (as duas primeiras temporadas da série foram exibidas pela mesma emissora). Esperava-se que, mesmo com a inexperiência da emissora em dramaturgia, essa versão em português (repetindo uma tendência existente nos vários países em que ela é exibida, tanto que ela é gravada na Argentina) se marcasse pelo esmero na produção.

De certa forma, a versão segue fielmente o original, com bons cenários e roteiro traduzido. E é exatamente esse o problema: a versão é fiel até demais! O roteiro não é adaptado à realidade brasileira - ou seja, o fictício bairro de Arvoredo (Wisteria Lane no original) ficou parecendo um consulado norte-americano mais estendido. Nem a Barra da Tijuca, com seus condomínios fechados, se assemelha tanto a um típico bairro californiano ou nova-iorquino, ou mesmo do rico interior ianque, quanto Arvoredo. É irritantemente igual ao original: casas sem muro, velórios em casa e com lanchinho, e carros zero a rodo. Um bairro de milionários sem igual em território brasileiro.

Como não tenho TV por assinatura em casa, foi por sinal aberto que acompanhei as duas primeiras temporadas da série original, todo domingo à noite. Quando soube que a RedeTV! iria co-produzir com a Disney uma versão própria, fiquei curioso pra saber como iria ficar - já sabia que outras versões haviam sido produzidas em outros países, notadamente os sul-americanos. Assisti ao primeiro episódio e, sinceramente, nem tive vontade de assistir ao segundo. Era tudo idêntico ao original! Parece que o primeiro episódio da série original estava sendo reprisado; até mesmo o truque do telefone do Papai Noel (com Felicity Huffman lá, e Tereza Seiblitz cá - aliás, ela é uma das poucas coisas que se salvam na versão tupiniquim) com as crianças pentelhas estava presente.

Os atores secundários (jovens e crianças), aliás, são um capítulo à parte. Como a emissora parecia não ter cacife para fazer testes, contratar e hospedar atores novatos mirins em Buenos Aires, ela optou por usar argentinos e dublá-los... O resultado ficou bem esquisito. Parece um híbrido de versão nacional com dublagem de série estrangeira.

Se tem uma coisa para que Donas-de-Casa Desesperadas possa servir, é para que os que não viram a primeira temporada (ou seja, pegaram o bonde andando) possam se inteirar da história. Não muda nada. A mim, só resta esperar a terceira temporada do original, que só passa em sinal aberto no ano que vem.

27.8.07

AINDA HÁ ALGUMA DÚVIDA?

Uma jovem de 18 anos foi barbaramente assassinada nesta semana, depois de ser levada da porta de uma academia em Curitiba.

Os principais suspeitos são dois menores, de 17 e de 15 anos.

Quero ver o que o pessoal dos Direitos Zumanos e do Estatuto que nunca funciona vai dizer agora.

25.8.07

CUIDADO COM AS PALAVRAS...



Este flagrante foi encontrado na página principal do MSN. Entre as notícias relatadas, estava a de que um pesquisador achou uma cidade japonesa.

Só não precisava esculhambar a pobre cidadezinha nipônica. Esse foi o pior xingamento que uma localidade poderia receber, mesmo porque ela acabou de ser achada e ainda não mostrou a que veio.

Em tempo: falando em Japão, clique aqui e confira o candidato a samba-enredo mais bizarro dos últimos anos. É um dos sambas concorrentes para o Carnaval 2008 da Unidos de Vila Maria, do Grupo Especial paulistano. Você imagina que alguém vai conseguir decorar isso pra cantar na Avenida? (Isso tudo pra não falar do refrão.)

18.8.07

O MINÚSCULO LITORAL CONTRA O PODER MULTINACIONAL



Todos devem saber do imbróglio que o presidente da Philips do Brasil (que também é um dos representantes do movimento Cansei) arranjou com o estado do Piauí, quando afirmou que ninguém sentiria falta do estado de menor litoral do Brasil (se era pra ter coisinha tão ridícula, seria melhor nem ter - estão aí estados ricos sem litoral, como Minas Gerais e Goiás que não me deixam mentir) se ele sumisse do mapa. Nem precisa dizer que muitos piauienses ficaram revoltados, numa onda de fúria só comparável àquela das populações muçulmanas com certas declarações do Papa, não faz tanto tempo assim. Alguns protestos se sucederam em Teresina, com direito a quebra-quebra dos produtos da marca holandesa, além de ameaças de boicote.

Como disse alguém, o nacionalismo é o último refúgio dos canalhas. Nem precisa dizer que, graças às declarações um tanto fora de propósito (embora não sejam exatamente falsas), os governantes piauienses aproveitaram para acirrar ânimos e vomitar um orgulho vão, sem motivo.

Mas tais atitudes servem também para afirmar seu "bolsa-esmolismo", visto que o Piauí (cujo governador é do mesmo partido do presidente) é um dos estados muito favorecidos pelos programas assistencialistas de que Lula tanto se orgulha. E com uma população tão manipulável, fica fácil afirmar seu lado "pobre-fashion", aquele que faz questão de orgulhar-se de ser pobre.

17.8.07

DO HÁBITO DE USAR APENAS UM OUVIDO


Recentemente, ao comentar as vaias que levou na cerimônia de abertura dos Jogos Pan-Americanos, o presidente Lula disse que usa uma orelha para ouvir os aplausos e a outra para ouvir as vaias. Pelo visto, Lula parece querer ficar surdo de um ouvido, pois não aceita ser vaiado. E ganhou um "assessor antivaias": o governador fluminense Sérgio Cabral Filho.

Num evento em Campos, para a inauguração de uma unidade de ensino, alguns manifestantes com narizes de palhaço se infiltraram no meio da claque e começaram a vaiar. Daí, Cabral começou a justificar a aliança governamental: puxou uma vaia em direção aos revoltosos, dizendo que eles eram "pequenos-burgueses que reclamavam de barriga cheia". Na verdade, satisfez a impaciência de Lula, que parece ter se esquecido de cobrir a "orelha das vaias" direito...

Logo depois, ao discursar, Lula encontrou um culpado por não ter cem por cento de aprovação: elas, as elites!!! Como se não houvesse uma classe média sacrificada neste país. Ou seja, é o desejo de "empobrecimento" (na verdade, de uma desigualdade social ainda maior, que é o grande sonho de quem está mandando, mais para arranjar um bode expiatório) da população do país, dividindo-o em dois: as elites (aquelas desalmadas e cruéis perseguidoras, que mandaram no país durante 502 anos) e o povão (que nunca antes neste país... você sabe).

11.8.07

UMAS VERDADES INQUESTIONÁVEIS

Encontrado pela Internet, de autor desconhecido. Teria sido um comentário censurado no blog do dublê de cantor brega e jornalista Luiz Nassif. Quem souber o autor, pode revelar.

Engraçado.

Em regimes democráticos as pessoas podem emigrar livremente.

Nos regimes comunistas não.

O bordão do governo militar do Brasil, o "Brasil, ame-o ou deixe-o" em Cuba não existe.

No governo comunista de Cuba existe o:

"Cuba, ame-o ou seja infeliz"

"Cuba, ame-o ou seja preso"

"Cuba, ame-o ou seja executado."

Sim, existe uma diferença.

No Brasil, mesmo o regime militar e seus atos institucionais eram mil vezes mais democráticos que o regime de Cuba, tão festejado pelos petistas.

Por que um país, que tem tantas pessoas com vontade de emigrar não deixa elas saírem?

Não será simplesmente vaidade do ditador comunista, incapaz de admitir o fracasso do regime comunista?

8.8.07

ORA BOLAS, MAS POR QUE LOGO EU?

Nestes últimos meses, venho convivendo com uma sina.

Parece incrível, mas tenho uma dificuldade incrível para decorar nomes de ruas. No máximo, consigo apenas decorar o nome da rua onde moro e das adjacentes. Se formos um pouco mais longe, ou seja, afastar-me um pouco da vizinhança que conheço, fica difícil.

Pois bem. Como vinha dizendo, convivo com uma sina nestes últimos meses. Sabe-se lá o porquê, toda vez que caminho pelas calçadas alguns motoristas me abordam querendo saber onde fica determinada rua. E o mais estranho disso tudo é que isso vem a se intensificar nesses últimos tempos.

Educadamente, digo que não sei onde fica a tal rua que o motorista pediu pra localizar. E mesmo que eu saiba, ela geralmente fica tão longe que tenho dificuldades de atender rapidamente à solicitação. Só resta-me lamentar a má sorte do pobre motorista perdido.

Será que eles imaginam, numa espécie de catarse coletiva, que eu tenho cara de guia de ruas? Só isso pode explicar tamanha fixação dos condutores automotivos por minha pessoa quando estão perdidos ou não consultam o manual de trânsito.

4.8.07

A CAMINHO DO ABATEDOURO



Os pugilistas cubanos Guillermo Rigondeaux e Erislandi Lara estão entre os melhores do mundo. Campeões mundiais amadores (Rigondeaux, inclusive, é o atual campeão olímpico e tentava o bicampeonato pan-americano), são seguidores da tradição do boxe cubano, cuja profissionalização é proibida pelo governo do país.

Nos últimos anos, muitos representantes do esporte de Cuba vêm aproveitando as viagens ao exterior para pedir asilo político, cansados da pobreza política e da miséria crescente no país. Nos Jogos Pan-Americanos do Rio, alguns atletas e um treinador fizeram isso. Com os referidos pugilistas, não foi diferente. Eles teriam assinado contrato com um grupo alemão. Mas há um problema: foram fugir de Cuba exatamente no Brasil...

Eles foram pegos pela polícia. Num caso mal-explicado, eles teriam demonstrado arrependimento e desejo de voltar ao país. Poucos se convenceram disso, principalmente aqueles que conhecem a truculência ditatorial cubana e o que ela costuma fazer com os seus dissidentes.

Muitos comparam este caso com o de Olga Benario Prestes, deportada para a Alemanha nazista pelo governo de Getúlio Vargas. E é uma comparação pertinente. A gente conhece cada governo nacional pelos amigos que tem: ontem ajudaram a mandar gente às câmaras de gás; hoje, pode estar ajudando a mandar ao paredón.

3.8.07

RECUPERANDO O TEMPO PERDIDO...

  • Válido, embora esquisito, o movimento intitulado Cansei, que entre outras coisas protesta contra os efeitos da crise aérea. O movimento foi criado por empresários paulistas, mas com esse nome fica parecendo ter sido criado por cabeleireiros e destaques de escolas de samba, tendo como patrono o falecido Clóvis Bornay... E o pior é, mais uma vez, ser tido como "golpista" pelos lulistas, que não conseguem se acostumar com um regime democrático. Embora tais fatos não sejam novidade nenhuma.
  • E a entrevista de Marilena Chauí, hein? Ela disse que tomou um susto quando viu o acidente da TAM na televisão, pensando à primeira vista que fosse uma tentativa de golpe de Estado! Se bobear, deve ter exclamado quando percebeu que tratava-se "apenas" de um acidente aéreo: "Ufa, que alívio!".
  • E a Mônica Veloso, então? Assinou contrato para posar nua pra Playboy. O que só confirma este texto aqui.

28.7.07

AINDA VIVO

Calma, gente, não morri. Pelo contrário! Os Jogos Pan-Americanos vêm tomando muito do meu tempo, tanto que não posto por aqui há quase uma semana.

De todo modo, se vocês quiserem saber o que ando aprontando por aí afora, leiam a minha cobertura particular do Pan aqui.

Atualização das 23:33: Vejo pela TV que a delegação de Cuba - por ordens do governo, que teme deserções em massa de seus atletas ou aliciações deles por europeus - está voltando pra casa antes do fim do Pan. Pois é: se eles tivessem voltado pra casa um pouquinho antes, quem sabe o Brasil não os ultrapassaria no quadro de medalhas... Este é o paraíso de Fidel.

22.7.07

CALMA, PESSOAL



O pessoal que disputa e o que assiste às competições dos Jogos Pan-Americanos parece estar sofrendo de uma crise de ansiedade incontrolável. Só isso pra explicar as confusões que têm acontecido nesses últimos dias.

O público espectador não colabora muito, é verdade. A vaia com motivos vazios, logo em momentos em que os atletas devem estar concentrados, é indesculpável. Mas os atletas têm sua parcela de culpa, com provocações sem sentido.

Hoje ocorreram os mais graves entreveros entre atletas e torcedores deste Pan. O primeiro foi na final do handebol masculino, em que o Brasil se sagrou bicampeão ao derrotar a Argentina por 30 a 22. Nos segundos finais do jogo, houve uma pancadaria entre jogadores dos dois times. Os motivos são desencontrados, mas o fato é que a cena é lamentável.

À tarde, mais confusão, desta vez no judô, e envolvendo diretamente torcedores. Na final feminina da categoria meio-leve, uma decisão polêmica da arbitragem causou a derrota da brasileira Erika Miranda para a cubana Sheila Espinosa. A torcida protestou atirando objetos contra a arbitragem, que se retirou momentaneamente do local. As provocações entre torcedores dos dois países causaram uma briga generalizada nas arquibancadas destinadas aos convidados. Os ânimos se arrefeceram mais tarde.

Pessoal, esporte tem coisas que não nos agradam às vezes. Só resta, a nós, aceitar as adversidades.

21.7.07

FUNCIONALISMO PÚBLICO

O cargo de ministro de Estado no Brasil deve ser o mais estável do mundo. Seu ocupante pode fazer ou falar toda a sorte de besteiras que nada lhe acontece. Como aconteceu com Márcio Thomaz "Seria a mesma coisa que atirar um veado num homem" Bastos. Com Marta "Relaxa e goza" Suplicy. Com Guido "A crise aérea é um sinal de desenvolvimento econômico" Mantega.

Claro que com Waldir Pires, o ministro da crise aérea, não poderia ser diferente. Marco Aurélio "Top-top-top" Garcia que o diga.

Taí! Quando eu crescer, vou querer ser ministro. Afinal de contas, é o que não falta no Brasil hoje.

18.7.07

UMA TRAGÉDIA ANUNCIADA



Já imaginavam muitos que o fato de o mais movimentado aeroporto do país estar encravado no meio da cidade de São Paulo seria palco de uma tragédia de grandes proporções. Alguns desastres já marcaram o Aeroporto de Congonhas - o mais famoso em 1996. Agora, na noite desta terça-feira, houve esta que pode ser a maior tragédia aérea do país - batendo de longe (se não em número de vítimas, pelo menos em impacto) o acidente com o Boeing da Gol em setembro do ano passado, no Centro-Oeste do país.

Isso mostra como a aviação brasileira padece de uma crise grave e sem precedentes, com a crise dos controladores de vôo. O próprio aeroporto paulistano é um retrato disso. Ele foi o palco de alguns dos mais inacreditáveis acidentes com aviões de que se tem notícia, recentemente. As casas que dali ficam perto dão um certo ar de Hong Kong ao local - claro, sem o mesmo charme (nem a aparente segurança) da antiga possessão britânica na China.

E o mais surpreendente é que o acidente desta noite poderia ter sido ainda pior: há relatos de que o jato da TAM não tenha pego nenhum carro ao atravessar uma rodovia em pleno horário de forte movimento. Depois disso, acabou por atingir um prédio que pertence à própria empresa. Triste ironia do destino.

16.7.07

PRESIDENTE, FAÇA O QUE A MINISTRA RECOMENDOU: RELAXE E GOZE

Li que o presidente Lula ficou tão aborrecido com as vaias direcionadas a ele na cerimônia de abertura dos Jogos Pan-Americanos que não pensa em voltar ao Rio durante o evento. Ora bolas, foi ele quem cavou a própria sepultura. Se ele não fosse tão complacente com a corrupção que corrói o governo, se ele não tivesse praticamente fundido partido com mandato, ou se ele não tivesse abandonado o Rio à própria sorte durante o governo estadual anterior (se bem que os garotinhos que infestavam o Palácio Guanabara não facilitavam muito para uma boa relação) - seguindo a nefasta prática do "Aos amigos, tudo..." -, talvez o problema não tivesse sido tão grande. Mesmo porque os cariocas costumam ser bem mais contestadores que a média nacional. Tanto que Nelson Rodrigues costumava dizer que um Maracanã lotado vaiaria até minuto de silêncio.

Não fosse Lula tão exageradamente autoconfiante, ele certamente mandaria os vaiadores lamberem sabão e declararia aberto o Pan em poucas palavras, como acontece habitualmente em cerimônias desse tipo, sem se abalar com as vaias. E ainda sorriria ironicamente no final da frase. Como infelizmente Lula não parece ser "safo" em situações desse tipo, saiu do Maracanã com o rabo entre as pernas. Agora só resta seguir o que a ministra do Turismo Marta Suplicy recomendou às vítimas da crise aérea.

13.7.07

NUNCA ANTES NA HISTÓRIA DO PAN...



...um chefe de Estado foi tão vaiado a ponto de ter sido impedido de declarar aberta a competição. Foi quebrado o protocolo (o atraso dele e de sua comitiva, combinado à demora dos espectadores em entrar no estádio, devido às normas de segurança - aliás, quando será que o brasileiro vai parar de deixar tudo pra última hora? - adiou o início da cerimônia em trinta minutos), mas foi melhor assim.

As vaias não foram só contra o presidente. Foram contra o estado de coisas que a nossa política impôs à sociedade. O conchavo, a corrupção, a impunidade, a malandragem do mal, o iminente cerceamento das liberdades... tudo isso deixa a população brasileira cansada de seus políticos. E o público elegeu Lula - não sem razão - um símbolo disso tudo. Só por isso, a noite desta sexta já valeu a pena.

No mais, foi uma bela festa de abertura, embora um tanto irregular. Se bem que houve sempre cerimônias de abertura de grandes competições esportivas que caíam, às vezes, na monotonia (as das Olimpíadas de 1992 e 1996 não me deixam mentir). Um belo cartão de boas-vindas do Rio às Américas. Que seja assim até o final.

RIO, QUE FASE GRANDIOSA!

Demonstrações de reação contra o crime, o Cristo entre as Sete Novas Maravilhas, os Jogos Pan-Americanos que começam hoje e agora, mais uma boa notícia para os cariocas: o casal de crianças que desgovernou o Rio durante oito anos está inelegível por três anos.

E é pouco. Que tenha sido apenas o começo.

Vamos aproveitar o momento. Não é toda hora que isso acontece.

7.7.07

JOGANDO POR MÚSICA. OU NÃO


Faltando menos de uma semana para o início dos Jogos Pan-Americanos, uma das grandes polêmicas é em relação à canção oficial do evento.

O produtor Liminha e o compositor Arnaldo Antunes (um dos Tribalistas, ou seja, passou perto de ser uma desgraça completa: já pensaram se fosse o Carlinhos Brown? O inesquecível "blim-blom náilon" faz parte da trilha sonora de meus pesadelos até hoje...) criaram Viva Essa Energia!, interpretada por Ana Costa (com participação especial do próprio Antunes, com um rap não lá muito convincente). É uma espécie de samba-enredo que não está fazendo lá muito sucesso no mundo do samba. Segundo muitos sambistas, a música não traduz o espírito do ritmo por não ter sido criada por especialistas.

Então, eles resolveram responder, digamos, à altura. Compuseram outra canção, que conseguiu a proeza de ser ainda pior que a original, que já não é lá essas coisas (se quiser ouvir as duas canções e compará-las, elegendo a menos pior, clique aqui). Eu digo o seguinte: nem parece que um dos compositores é o Noca da Portela. O samba parece uma esquálida imitação do original, com o mesmo esquema do refrãozinho pegajoso repetitivo no final. E ainda tem o agravante de ser ainda mais longo, o que nos faz perder ainda mais tempo.

5.7.07

NOTAS DESENTALADORAS DE GARGANTA

  • A CIA, 43 anos depois, admite que colaborou para derrubar o governo Goulart no golpe militar de 1964. Mais um motivo para eu admirar o poder de visão dos governantes norte-americanos. Afinal de contas, era a época da Guerra Fria, bipolarizando o planeta em capitalismo e comunismo. Não fosse a vizinhança mais ao norte, estaríamos quem sabe até hoje amargando uma ditadura de esquerda com milhares, quiçá milhões de mortos. Como está em Cuba há quase 50 anos. Como vem se desenhando na Venezuela. Ou seja, não havia outra saída naquela época. Não era a melhor, mas era a única.
  • Falando nisso, está em curso a "Guerra Fria do Novo Milênio": o Ocidente laico ou judaico-cristão contra o Oriente islamista. Adivinhem qual o lado certo? Pois é.
  • O presidente argentino Néstor Kirchner nomeou a própria mulher como candidata de seu partido nas eleições presidenciais deste ano. Ele se sentiu pressionado pela derrota de seu candidato na eleição para a prefeitura de Buenos Aires. Cariocas e fluminenses já viram esse filme há cinco anos. E não gostaram nada do final.
  • Hugo Chavez pensa em desistir de filiar a Venezuela ao Mercosul? Essa, se confirmada, será uma ausência que preencherá lacunas.

3.7.07

LEVANDO A IDEOLOGIA ATÉ AS ÚLTIMAS CONSEQÜÊNCIAS...

Nada como um pouco de ironia e bom humor de vez em quando.

30.6.07

TOMANDO UMA PRA RELAXAR

Notícia da coluna Panorama Esportivo, no jornal O Globo de hoje:

CHAVEZ-FEIRA

O governo Hugo Chavez não permite a veiculação de propaganda explícita de bebidas alcoólicas em estádios da Copa América. Numa tentativa de driblar a proibição dos venezuelanos, a AmBev criou placas com o seguinte slogan: "Z, todo mundo ama", numa alusão à campanha publicitária da "Zeca-Feira", estrelada no Brasil pelo sambista Zeca Pagodinho.

No entanto, a solução quase criou um problema diplomático. O governo venezuelano achou que a mensagem exibida poderia significar algo cifrado contra o governo Hugo Chavez, feito por algum opositor.

Os marqueteiros ligados à cervejaria tiveram que se explicar direitinho para evitar a proibição. Só depois, a mensagem foi liberada.

Dá para perceber o clima que envolve a mídia no país de Chavez...

Só pra constar.

29.6.07

COMO NÃO FOI QUE ESCREVI UM TEXTO COMO ESSE? :-)

No link ao lado, o texto de Reinaldo Azevedo sobre o comportamento dos que temem os avanços da política de segurança do estado do Rio de Janeiro. Endosso-o, sem tirar nem pôr.

Resta saber se essa política é pra valer (o que seria um avanço no estado, nos últimos 30 anos) ou se é apenas jogo de cena. Que prossiga como está.

28.6.07

QUEM SABE, AGORA...



A mega-operação da polícia no Complexo do Alemão é, a meu ver, uma acertada tentativa de impor a ordem nesse velho pedaço de encrenca existente na Zona Norte carioca. Há cerca de dois meses, os policiais ocupam esse que é um dos setores mais violentos do Rio, onde a bandidagem domina. E a polícia diz que não há previsão de saída. No que está certa.

Há tempos, vários habitantes de favelas (nada de eufemismos como "comunidades carentes" ou que tais), em sua maioria gente honesta e trabalhadora, têm nos bandidos o seu caminho mais curto para a sua sobrevivência, através do assistencialismo que estes implementaram. Isso decorre da falência do poder público, sem competência para assistir a todos - se bem que muitos habitantes esperam o peixe ser servido, ao invés de aprenderem a pescar. Juntamente com a imagem do "bandido-herói", vem a aversão aos policiais - tanto que alguns protestos dos moradores do Complexo do Alemão foram realizados, exigindo o fim das operações. E isso é um problema.

Em quase seis meses de governo de Sérgio Cabral Filho, houve um acréscimo da violência em relação aos últimos meses do governo Rosinha - no que interpreto como uma conseqüência do governo anterior (esse tempo todo da família dos pequenos meninos no poder não se corrige de uma hora pra outra) e de alguns erros da atual política de segurança. Por isso, a operação desta quarta-feira pode ser vista como um grande acerto e uma vitória (estima-se que 19 bandidos tenham sido mortos e uma quantidade considerável de armamento pesado foi apreendida), por ser um sinal de que, depois de oito anos de desgoverno do clã Garotinho, a lei ainda está viva no estado do Rio de Janeiro - apesar de ainda respirar por aparelhos. Aguardemos as conseqüências.