14.11.07

O CORPORATIVISMO QUE CHEGA A BEIRAR O RIDÍCULO

Como já era de se esperar, o presidente Lula defendeu Hugo Chavez do cala-boca espanhol do último final-de-semana. Não é novidade nenhuma, inclusive nas ridículas afirmações de que a democracia venezuelana não está ameaçada, com direito a comparações com o governo de Margaret Thatcher na Grã-Bretanha (por algum acaso, houve alguma mudança constitucional no meio do mandato pra beneficiar o titular da chefia de governo como está ocorrendo agora na Venezuela?).

O triste disso tudo é que nossos governantes parecem cordeirinhos diante de Chavez. Ele desanca instituições brasileiras em nosso território, debaixo de nossos narizes, e ninguém faz nada pra impedi-lo. Pelo contrário: muitos o endeusam, acreditando na utopia da "integração latino-americana".

Mas não tem nada, não. Dizem que a melhor propaganda contra o esquerdismo é deixar um esquerdista abrir a boca. O tiranete bolivariano fez beicinho e exigiu desculpas do rei Juan Carlos I. Ainda por cima, ele se diz desconfiado de que o monarca sabia daquela tentativa de golpe contra Chavez; além disso, diz estar de olho em empresas espanholas que atuam no país. Só falta querer nacionalizá-las, o que não seria novidade.

3 comentários:

Ollie McGee disse...

Rapaz, eu vi o Lula falando aquele monte de asneiras na TV. Fiquei até com vergonha alheia. =\

Frodo Balseiro disse...

Lulla é mais parecido com o Imperador venezuelano do que muita gente pensa!
Que medo!

Blogildo disse...

Acho que é mais que corporativismo. É "cosa nostra" mesmo!